santoantonio_13062021

Pelo Brasil, Frei José Ariovaldo pede “armas do amor, da paz e da justiça”

Frei Augusto Luiz Gabriel

Petrópolis (RJ)  – Nem mesmo o frio na serra petropolitana espantou os fiéis e devotos de Santo Antônio neste domingo, 13 de junho, no Convento e Paróquia do Sagrado de Petrópolis (RJ). As celebrações chegaram a lotar a igreja, com gente acompanhando até mesmo do lado de fora. Logo no início do dia, os devotos do santo franciscano já batiam à porta da Igreja, que é histórica e centenária. As missas começaram bem cedo, às 7 horas. Durante todo dia, realizou-se bênçãos de Santo Antônio e distribuição de mais de 5 mil pães.

Presidida pelo vigário paroquial, Frei José Ariovaldo da Silva, a Celebração Eucarística das 10 horas contou com o coral dos frades do Tempo da Teologia na animação dos cantos, sob regência do mestre, Frei Marcos Antônio de Andrade. Como já é de costume, a missa foi transmitida pela Rádio Imperial e pelas redes sociais da Paróquia.

SANTO ANTÔNIO: “UM EXÍMIO SEMEADOR DO REINO POR PALAVRAS E POR OBRAS”

Na homilia, Frei José Ariovaldo relacionou a liturgia do 11º Domingo do Tempo Comum com a festa franciscana. Segundo ele, quando se reza a oração do Pai nosso, um dos pedidos que se faz a toda hora, às vezes sem pensar, é este: “Venha a nós o vosso reino”. Mas “que reino é este?”, indagou. Para Frei Ariovaldo, é o espaço do perfeito amor, da harmonia total, da paz absoluta, da vida plena, possível em todos os todos os lugares.

“Reino de Deus é este espaço totalmente livre, isto é, completamente limpo de complicações, ódios, agressões, morte, corrupção, opressão, mentiras e medos em todas as relações”, disse. “É o que, no fundo, pedimos na oração do Pai nosso: Venha a nós o vosso Reino. Em outras palavras: Que tenhamos a corajosa confiança de ativamente permitir e contribuir para que este Reino, este espaço ou clima de vida plena, já plantado em nós pelo Espírito de Jesus, desabroche e cresça em nós e entre nós”, destacou.

Segundo o frade, esse Reino já veio, aconteceu na pessoa de Jesus, e continua acontecer naqueles que se fazem com Ele. “Começou com Jesus e se expandiu para todos nós, como uma árvore que começou com uma simples sementinha e depois se expandiu em forma de muitos galhos, flores e frutos”, disse.

No evangelho, Jesus compara seu Reino com uma sementinha de mostarda. “Essa sementinha germinou, cresceu, nasceu em Belém, continuou a crescer, crescer… Já árvore crescida e adulta, ele vai revelando que, no fundo, o Reino de Deus é a sua própria pessoa. Ele é o espaço da plenitude do amor, da misericórdia, da compaixão, da solidariedade, da justiça e da paz. Quando, em parábola, ele compara a sementinha de mostarda ao Reino de Deus, no fundo, ele está falando d’Ele mesmo”, afirmou. “Todos nós fomos vocacionados pelo batismo para sermos protagonistas do Reino de amor, justiça e paz sobre esse planeta terra”, acrescentou.

Segundo Frei Ariovaldo, Santo Antônio foi um grande protagonista, um exímio semeador do Reino por palavras e por obras. “Obrigado, Santo Antônio! Hoje é o teu dia! E neste dia, pedimos pelo nosso Brasil passando por momentos difíceis. Infelizmente, em vez de espalhar o Reino de Deus, há pessoas e grupos em nosso país se organizando, inclusive em comitês economicamente apoiados por empresas poderosas, para implantar em nosso país um reino de ódio, de brigas e intrigas, guerra, preconceito, desprezo pela vida: Anti-reino”, lamentou. “Ajuda-nos, Santo Antônio, a superarmos tudo isso com as armas do amor, da paz e da justiça”, pediu. “E que venha a nós, sim, o vosso Reino. Não o Reino do ódio, mas o vosso Reino que é Reino de amor, paz e justiça. Amém”, concluiu.

SANTO ANTÔNIO: GRANDE COOPERADOR DE JESUS CRISTO NA FÉ E NA CARIDADE

Mais cedo, a Celebração Eucarística das 8h30 foi presidida pelo pároco e guardião, Frei Jorge Paulo Schiavini, e concelebrada pelo atendente conventual, Frei Abílio Antunes Amaral. Na homilia, Frei Jorge afirmou que Jesus usa comparações em parábolas para falar da salvação. Segundo ele, nossa vida é como uma semente que é lançada na terra. “E nós também precisamos lançar a semente através da acolhida da Palavra de Deus e do seguimento a Jesus Cristo para experimentar sempre essa realidade escondida, mas profunda, que move o coração do ser humano”, mencionou.

Para o pároco, o Reino de Deus tem uma potencialidade e força em si mesmo que transforma e renova. “Se guardamos a fé é necessário que tenhamos a paciência e esperança de que Deus está presente em nossa vida e no tempo certo dará frutos”.

Neste sentido, Frei Jorge lembrou do episódio da pregação de Santo Antônio aos peixes. “Aquele povo fica tão comovido com a paciência e fé de Santo Antônio e se converte, ouve a Palavra de Deus e passa a ter uma nova vida em Jesus Cristo”. Segundo o pároco, Santo Antônio foi um grande cooperador de Jesus Cristo na fé e na caridade. “Que possamos confiar na presença do Senhor em nossas vidas e assim também nós produzirmos frutos”, encerrou.

TREZENA DE SANTO ANTÔNIO

Desde o dia 1º de junho, a Paróquia do Sagrado realizou a tradicional Trezena de Santo Antônio, que neste ano teve como tema principal: “Santo Antônio, homem da Palavra e intercessor do povo”. Todos os dias, às 15 horas, os fiéis e devotos puderam acompanhar presencialmente e pelas redes sociais, reflexões e orações em torno do santo mais popular do mundo.


VEJA MAIS IMAGENS DAS CELEBRAÇÕES

Notícias Relacionadas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print