aparecida_121021_1

Nossa Senhora Aparecida, mãe e intercessora das necessidades

Frei Felipe Medeiros Carretta*

Queridas irmãs e queridos irmãos em Cristo Jesus, Paz e Bem!

Neste dia dedicado a Maria, queremos juntos celebrar a vida de nosso povo e de nossa gente. Ao rezar à Mãe de Deus que, carinhosamente clamamos por Mãe Aparecida, sempre nos vai remeter a Jesus. Maria é aquela que intercede, que roga que está sempre atenta e na obediência da vontade do Senhor. E principalmente que nunca nos desampara.

Atentos à passagem do Evangelista João 2,1-11, Maria é aquela que pede, que confia e entrega a Jesus a necessidade dos noivos. Podemos fazer uma analogia de que estes noivos somos nós, nós somos os necessitados da graça de Jesus. Maria clama e exclama: “Fazei o que ele vos disser!”. Jesus mesmo sabendo que não tinha chegado a sua hora, como vimos na leitura, Ele realiza, compreende e atende o pedido de sua mãe. Qual o filho que não atende um clamor de uma mãe?

As leituras litúrgicas realçam a mensagem da mediação de Maria na figura de Ester e na solicitude de Maria nas Bodas de Caná, conforme nos ensinou o Evangelho. Na Segunda Leitura, Maria é apresentada como grandioso sinal que apareceu no céu, ameaçada, mas não tragada pelas águas de um rio. A mulher foi socorrida pela terra, destacando a figura de Maria. A Igreja assume até em certo grau, o que foi a obra de Maria, a co-redentora, a Imaculada.

Mais uma vez, Maria é a mulher que sempre estará bem perto de nós, sempre disposta a nos escutar em nossas aflições e sempre pronta a interceder a seu filho Jesus.

Podemos dizer que o vinho das bodas de Caná é a graça, é o símbolo que remontará à Paixão de Jesus. Maria é a mulher bíblica que nos lança a graça primeira (Jesus) e que inicia o Próprio na vida pública (Bodas de Caná). Por isso, o vinho de Caná é o vinho mais saboroso que o mestre sala já provou, é o vinho da nova aliança, é o novo que Jesus nos traz, é a boa nova do Cristo e por fim, é o Anúncio do novo Reino. Pois a quem possui Cristo nada lhe falta!

A graça de Jesus é abundante, foram enchidas seis talhas de pedra, cerca de 500 a 600 litros de vinho, e João ainda para ressaltar esta abundância nos diz que foram preenchidas até as bordas das talhas. O que Jesus nos oferece é em tudo abundante, é em tudo para nos fartar, como Deus fez com o maná.

Voltando um pouco o nosso olhar para a história da Aparecida, sua imagem veio ao encontro dos mais necessitados e por sua vez Nossa Senhora intercede a Deus, porém agora ajuda os pescadores, que no meio das águas do rio Paraíba encontraram sua imagem e Deus os enche de graça, os enche de peixes.

A festa de Nossa Senhora Aparecida nos faz lembrar o ano de 1773, quando os pescadores encontraram no rio Paraíba, entrelaçadas em suas redes, uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Aqueles que foram pescar pescaram uma imagem negra da Virgem da Conceição e que, hoje, com o seu manto azul protege o povo brasileiro e se coloca como a nossa intercessora junto de Deus, por que: “quem a Mãe pede, o Filho atende!”. Vamos a Deus, por intermédio da Virgem de Aparecida, Rainha e Mãe do povo brasileiro.

Que pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, nós possamos sempre ajudar os mais necessitados de nossa gente, ir ao encontro de quem mais precisa e que possamos ser cada dia mais fiel nas obras de Misericórdia.

Maria, mãe da Misericórdia, rogue a Deus por nós!


* Frei Felipe Medeiros Carretta é natural de Vila Velha (ES), nasceu no dia 02 de julho de 1993. Vestiu o hábito franciscano no dia 15 de janeiro de 2015 e fez sua primeira profissão no dia 05 de janeiro de 2016 em Rodeio (SC). Atualmente, Frei Felipe cursa o 2º ano de Teologia no Instituto Teológico Franciscano e se prepara para emitir os votos solenes na Ordem dos Frades Menores.

Fotos: Frei Augusto Luiz Gabriel (2019).

Notícias Relacionadas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print