Frei Leto Bienias

Falar de Frei Leto e não incluir em sua história de vida a sua obra máxima é algo meramente impossível.

Frei Leto Bienias ofm nasceu em Herne na Alemanha em 1907 e entrou para o Seminário Franciscano em 1928 na cidade de Eupen na Bélgica, que pertencia à Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil. Em 1932, Frei Leto é transferido para o Brasil, juntamente com mais 16 frades estudantes alemães, onde se instalou no Seminário de Rio Negro – PR. Seus próximos passos como estudante franciscano eram o Noviciado, a Filosofia e a Teologia e em 1939 ordenou-se sacerdote.

Após uma curta estada em Curitiba, onde formou um coro de meninos na Congregação Mariana e que infelizmente nunca chegou a se apresentar, retornou a Petrópolis em 1942 para assumir a função de MAGISTER CHORI dos frades do Instituto Teológico Franciscano, onde, em suas próprias palavras, deveria:

…“disciplinar a recitação do Ofício Divino, estudar e ensaiar o canto gregoriano com os clérigos e preparar as missas polifônicas para as festas maiores do ano litúrgico, tarefa a cargo do coro de homens a vozes iguais, composto pelos teólogos” 1.

Nesta época o Instituto Teológico Franciscano (ITF) contava com cerca de 80 estudantes.

O Convento do Sagrado Coração de Jesus, que abrigava o ITF, mantinha desde 1896 uma escola primária para meninos de classes menos favorecidas, pois na época, as escolas particulares eram caras e as estatais eram parcas. Quando o diretor da escola, Frei Ático, soube da tentativa de Frei Leto em criar um coro de meninos em Curitiba, sugeriu a Frei Leto que o fizesse em Petrópolis, aproveitando os meninos da então Escola Gratuita São José, que contava com cerca de 500 alunos. Frei Leto já tinha ouvido os meninos da escola, pois os mesmos cantavam as missas escolares que eram celebradas duas vezes por semana. Entusiasmado com a nova tarefa e por saber que ali encontrava terreno fértil para o desenvolvimento do canto coral com meninos, ele mesmo descreve:

“Era fácil selecionar naquela escola um grupo de 50 alegres e musicalmente bem-dotados meninos, principiantes, que já estavam cantando e que precisavam apenas (de) um guia que os ajudasse a descobrir a comovente beleza da própria voz” 2.

Em maio de 1942 Frei Leto iniciou o trabalho com os meninos cantores. As aulas eram ministradas todos os dias em uma sala da Escola Gratuita São José. Ali se ensinava o canto coral, técnica vocal e os rudimentos de teoria musical e solfejo, aliados a cantos simples conhecidos e também a novos. O resultado após 4 meses foi tão satisfatório que puderam cantar o Canto Gregoriano (proprium) da Festa da Assunção de N. Sra, e uma missa simples a 3 vozes do P. Piel. Este fato foi levado em consideração para marcar a data da fundação do Coral dos Canarinhos como sendo o dia 15 de agosto daquele ano.

A partir daí, Frei Leto ensaiava com os meninos cantores as Missas Gregorianas do GRADUALE ROMANUM para cantá-las na liturgia principal da igreja do Sagrado Coração de Jesus. Com a participação dos frades estudantes de teologia do ITF, possibilitou-se então a formação do coro a 4 vozes (SATB) para a expansão do repertório do coro. Em 1951 Frei Leto consegue um estágio de 8 meses na Alemanha com o coro de meninos cantores mais antigo do mundo, os Pardais da Catedral de Regensburg. Ao regressar ao Brasil, Frei Leto traz novas ideias para o ensino de música e o estilo de cantar de Regensburg para os seus cantores. Em 1952 os “Canarinhos de Petrópolis”, como eram já na época apelidados, passou a se chamar oficialmente INSTITUTO DOS MENINOS CANTORES DE PETRÓPOLIS, onde além dos meninos do coro, outros alunos do colégio podiam também ter aulas de música.

Este período inicial do coro foi muito fértil e proveitoso, embora a falta de salas de aula no colégio fosse um impedimento para que o estudo da música fosse cada vez mais ampliado. A solução para a expansão do trabalho era a construção de uma sede provisória onde, após as aulas do colégio, os meninos podiam almoçar e passar a tarde em um regime de semi-internato com ensaios de repertório coral, aulas de teoria musical, solfejo e técnica vocal. Esta sede possuía 3 salas de aula, refeitório, cozinha, instalação sanitária e fora inaugurada no dia 29 de maio de 1955.

Mas ainda havia um problema. Após a escola primária, os alunos que estavam na 5ª série pediam transferência para outras escolas, pois naquela época ainda não havia o curso ginasial no Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis (Escola Gratuita São José). Consequentemente, os melhores cantores acabavam também saindo do coro, justamente quando estes ficavam mais maduros musicalmente. Frei Leto então resolveu ampliar a estrutura da escola, para então em 20 de fevereiro de 1957 abrir o Ginásio dos Meninos Cantores, evitando assim a perda de alunos e principalmente de bons cantores a cada ano.

Após o término do contrato de usufruto da sede provisória do Coral dos Canarinhos em 1969, uma outra propriedade fora adquirida com recursos, em grande parte, do governo estadual, onde até hoje está a sede dos Canarinhos. Nesta nova propriedade havia mais espaço para aulas e ensaios.

Com a chegada de Frei José Luiz Prim em 1973, Frei Leto pode se desligar de algumas responsabilidades que o esgotavam por demais. Ele deixa, entre elas, a direção da escola em favor de Frei Prim, podendo se dedicar mais e mais aos Canarinhos e ao seu repertório preferido: o canto gregoriano e a polifonia renascentista.

De dezembro de 1974 a fevereiro de 1975, Frei Leto e Frei José Luiz realizam a primeira viagem internacional com os Canarinhos de Petrópolis percorrendo 40 cidades na Alemanha e participando do XV Congresso Internacional PUERI CANTORES em Roma. Após esta viagem, foram convidados a irem a Brasília e lá cantaram para o então Ministro da Educação e Cultura, Ney Braga, que prometeu ajudar o coro na construção da nova sede própria. E, com a construção desta nova sede, há muito sonhada por Frei Leto, iniciada em 1976, abriu-se condições para que o coro alçasse grandes voos e abrisse novos horizontes.

Frei Leto Bienias continuou regendo o Coral dos Canarinhos até meados dos anos 80, quando a idade e o cansaço começaram a abater o seu espírito.

No dia 3 de julho de 1988, Frei Leto faleceu nos deixando um legado inestimável de 46 anos de trabalho e dedicação à nobre causa da música sacra e na formação musical e humana de vários meninos e jovens.

VEJA O DISCURSO DE FREI JOSÉ LUIZ PRIM, POR OCASIÃO DA MISSA DE 7º DIA DE FREI LETO

Informações enviadas pelo seu sobrinho, Ulrich Bröskamp

Tradução: Marco Aurélio Lischt

Paul Bienias wurde als drittes von 10 Kindern am 07.02.1907 in Herne geboren. Er hatte 2 Brüder und 7 Schwestern. Das beigefügte Foto mit Eltern und Geschwistern wurde 1932 aufgenommen, offenbar weil Pater Laetus in dem Jahr nach Brasilien ging. Da war er 25 Jahre alt.

Paul Bienias nasceu no dia 07 de fevereiro de 1907 em Herne em uma família de 10 irmãos, sendo ele o terceiro mais velho. Ele tinha 2 irmãos e 7 irmãs. A foto em anexo com os pais e irmãos fora tirada em 1932, pois naquele ano, Frei Leto viria para o Brasil. Na época ele tinha 25 anos.

1933 Eintritt in den Franziskaner-Orden.

Em 1933 entrou para a Ordem Franciscana.

1939 in Petrópolis zum Priester geweiht.

Em 1939 foi ordenado sacerdote em Petrópolis.

1951 erster Besuch in der Heimat.

Em 1951 fez sua primeira visita à sua terra natal.

1986 zum letzten Mal in der Heimat. Wegen seines geschwächten Gesundheitszustandes hatte man ihm angeboten, in Deutschland zu bleiben. Er wollte aber in seine Missions-Heimat Petrópolis zurück.

Em 1986 esteve pela última vez na sua terra natal. Por causa de sua condição débil de saúde, fora aconselhado que ficasse na Alemanha. Mas ele queria voltar para a sua Missão em Petrópolis.

Anlässlich des Todes von Pater Laetus Bienias (03.07.1988) hat Frei José Luiz Prim in einer bemerkenswerten „Lobrede“ die bedeutsamen Lebensabschnitte zusammengestellt (siehe angehängte Datei).

Por ocasião da morte de Frei Leto Bienias (03/07/1988) Frei José Luiz Prim fez um proeminente discurso, digno de louvor, sobre a vida de Frei Leto (vide anexo).

Ich, der Enkel von Pater Laetus, war der erste Verwandte, der ihn im August/September 1981 nach fast 50 Jahren in Brasilien besucht hat. Solange hat er auch im Kloster gewohnt. Ab 1981 bekam er ein Zimmer im Institut. Damals erzählte mir mein Onkel, dass er 1969 das 9.000 qm große Gelände für 250.000 Crz gekauft hat, auf dem sich nun das Institut befindet. Ein Kindergarten war schon vorher auf dem Gelände.

Eu, o sobrinho de Frei Leto, fui o primeiro parente que o visitou em agosto/setembro de 1981, após quase 50 anos de sua estada no Brasil. Todo esse tempo ele morou no convento. A partir de 1981 ele se mudou para o Instituto. Naquela época o meu tio me contou que em 1969 ele comprara um terreno de 9.000 m2 por Cr$ 250.000,00 (Duzentos e cinquenta mil cruzeiros), onde se encontra o Instituto. Havia antes naquele terreno um jardim de infância.

Zum 50. Priesterjubiläum (11.12.1983) besuchten ihn seine Schwestern Hildegard (meine Mutter) und Änne (Dez. 1983 bis Jan. 1984). Die Daten seiner Besuche mit den Canarinhos in Europa konnte ich nicht feststellen.

No seu Jubileu de 50 anos de vida sacerdotal (11/12/1983) as irmãs Hildegard (minha mãe) e Änne fizeram-lhe uma visita (dezembro de 1983 a janeiro de 1984). Dados sobre a sua ida com os Canarinhos à Europa não consegui encontrar.

Marco Aurélio Lischt

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print