dedicacao_16092021 (3)

Celebração faz memória da Dedicação da Igreja do Sagrado

Frei Augusto Luiz Gabriel

Petrópolis (RJ) – “Ao celebrarmos o aniversário da Dedicação da Igreja do Sagrado Coração de Jesus no ano do Jubileu, queremos trazer presente a celebração especial e profundamente ligada à história da Igreja do Sagrado que aconteceu há 14 anos,  por ocasião da conclusão do restauro e reforma da Igreja”. Foi com essa motivação que o pároco, Frei Jorge Paulo Schiavini, presidiu a solene Celebração Eucarística nesta quinta-feira, 16 de setembro, às 18 horas, na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus. A Santa Missa que foi transmitida pelo Facebook e YouTube do Sagrado, e pela Rádio Imperial, contou também com a presença de lideranças de movimentos e pastorais, além dos frades do Convento.

A inauguração de uma igreja nova geralmente coincide com a sua dedicação. Quando uma Igreja antiga ainda não foi dedicada ou quando ela foi totalmente restaurada, pode ser dedicada, como é o caso da Igreja do Sagrado. Por ser edifício visível, a Igreja, aparece como sinal especial do templo de Deus, construído de pedras vivas, que é a comunidade cristã.

IGREJA ESPIRITUAL, FORMADA POR PEDRAS VIVAS

Na homilia, Frei Jorge começou explicando que o restauro e a reforma da Igreja antecederam à celebração de Dedicação da Igreja do Sagrado. Ressaltou que o pároco da época, Frei Vitalino Piaia, com o auxílio de lideranças da Paróquia, iniciou o empreendimento em 2001, começando pela elaboração do projeto que se deu por meio da participação de um seminário, promovido em parceria com o Instituto Teológico Franciscano (ITF), sobre “Liturgia e Arte Sacra”, que teve a finalidade de esquematizar os passos do restauro, onde o objetivo principal foi o de recuperar os traços da originalidade da Igreja. Este estudo reuniu especialistas, professores, e fiéis da Paróquia do Sagrado.

O pároco pautou-se nos registros históricos escritos no livro “O restauro 2001 a 2007”, para relatar que já no final do mês de maio de 2001, Frei Piaia, como era conhecido, tinha em mãos um projeto audacioso e detalhado, cujas principais coordenadas foram estas: Resgate da história da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, resgate da centralidade da Dedicação original ao Sagrado Coração de Jesus, reencontro com a tradição popular, ousadia para manter funcionalidade, beleza, inspiração religiosa e inovação – se oportuna e necessária.

“O projeto foi levado a cabo e em grande parte com o custeio dos fiéis por meio de carnês, promoções, doações e auxílio de algumas instituições. Com a colaboração de muitos o patrimônio arquitetônico e religioso do Sagrado foi recuperado”, garantiu Frei Jorge, e acrescentou: “Destaco a remoção do forro que cobria a pintura atual do teto e a recuperação da mesma”.

Para Frei Jorge, o restauro recuperou a beleza e a história da Igreja do Sagrado. “O templo material, a igreja material é um símbolo importante daquilo que é a Igreja espiritual, formada por pedras vivas. E o cuidado com o templo material é também o cuidado com o patrimônio espiritual construído por várias gerações e atualizado por nós que agora cultivamos a fé nesse espaço sagrado”, frisou.

Citando novamente o relato de Frei Piaia do livro “O Restauro”, disse:  “O patrimônio humano é a comunidade ou a Igreja viva, sujeito e destinatária do patrimônio material.  Aliás, o patrimônio arquitetônico e artístico testemunha a respeito desta Igreja viva composta pelas pessoas, com a vantagem de registrar a sucessão de gerações”.

IGREJA DO SAGRADO É DEDICADA DEPOIS DE SEIS ANOS EM RESTAURO E REFORMA

Sobre a celebração do dia da Dedicação da Igreja do Sagrado, que ocorreu em 16 de setembro de 2007, Frei Jorge apresentou o relato do Vigário Paroquial, Frei Gustavo Medella – frade estudante da época-, que foi publicado no informativo “Laços&Passos”, e assim se refere sobre este dia histórico:

“Igreja super lotada, bispo, padres, diáconos, ministros, corais, cerimônia de duas horas e meia, tudo conforme a grandiosidade da festa. A celebração de Dedicação da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Petrópolis, não poderia ser diferente. […] O início foi do lado de fora, em frente à porta principal fechada, onde o bispo diocesano, Dom Fillipo Santoro, recebeu a chave das mãos dos arquitetos responsáveis pela obra, passando-a em seguida ao pároco, Frei Vitalino Piai, que abriu a Igreja. Alegres vamos à casa do Pai. Ao som do refrão do canto inicial, o bispo e os concelebrantes entraram em procissão. A imagem do Sagrado Coração de Jesus, titular da igreja, estava coberta e foi apresentada ao povo por um grupo de representantes das pastorais e dos movimentos. Em seguida, houve o rito de bênção e aspersão da água abençoada. Neste momento, o coral dos Canarinhos cantava em latim: “Assim como a corça suspira pelas águas repousantes, suspira igualmente minh’alma por Vós, ó Senhor”. Na homilia, Dom Filippo elogiou o trabalho de Frei Vitalino Piaia e brincou: “Cada vez que uma etapa da obra era concluída, o Frei Piaia me chamava para abençoar: coro, lustres, claustro. Hoje estamos aqui para dedicar a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, um acontecimento muito importante para nossa Diocese”.

O presidente da celebração, lembrou ainda que a Dedicação da Igreja do Sagrado coincidiu com a conclusão do restauro da Igreja do Sagrado e de algumas salas do Convento antigo do Sagrado. Segundo ele, foi muito apropriado dedicar uma Igreja que é centenária, com uma rica história de cultivo da fé, depois de um grande restauro que recuperou traços de sua originalidade.

Frei Jorge corou sua homilia fazendo uma reflexão sobre o Evangelho próprio para a Solenidade de Dedicação de uma Igreja. Segundo ele, a visita de Jesus a casa de Zaqueu o transformou. Assim, Zaqueu se propôs a devolver o que tinha roubado e partilhar de seus bens com os necessitados. “Os encontros de Jesus com as pessoas, que são encontros com o amor. Vemos assim que a misericórdia de Deus continua acontecendo na Igreja do Sagrado, através dos sacramentos, na Eucaristia, no Sacramento da Reconciliação e em tantos momentos de oração e devoção. Também acontecem na ação caritativa que é desenvolvida no Sagrado e na ação dos serviços pastorais e dos movimentos”, destacou.

E concluiu: “Rendamos graças ao Deus da vida que continua nos surpreendendo, neste local sagrado, com sua proposta: ‘Hoje eu devo ficar na tua casa’. E diante da generosidade de nossa resposta o Senhor nos diz: ‘Hoje a salvação entrou nesta casa’”.

A Celebração Eucarística teve continuidade com as preces próprias para o dia, seguidamente da liturgia eucarística. Após o rito de comunhão, Frei Jorge agradeceu a presença de todos e rezou pelas famílias enlutadas bem como pelos aniversariantes do dia.  A próxima celebração do Ano Jubilar será na 1ª sexta-feira do mês de novembro, data em que a Igreja faz memória da devoção ao Sagrado Coração de Jesus.

 

VEJA ALGUMAS FOTOS DA CELEBRAÇÃO

Notícias Relacionadas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print