jubileu_03122021 (4)

Ano Jubilar destaca a importância do Centro Filatélico Franciscano em Petrópolis

Frei Augusto Luiz Gabriel

Petrópolis (RJ) – Na primeira-sexta-feira do mês (3/12), dia em que a igreja celebra a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, os frades do Convento e da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus de Petrópolis deram continuidade às celebrações do Ano Jubilar que desde fevereiro deste ano faz memória dos 125 anos da chegada dos frades franciscanos vindos da Alemanha para Cidade Imperial e dos 75 anos de instalação da Paróquia do Sagrado.

O guardião e pároco Frei Jorge Paulo Schiavini presidiu a Celebração Eucarística das 18 horas no dia que a Igreja faz memória de São Francisco Xavier e explicou que a temática escolhida para o dia seria em torno do Centro Filatélico Franciscano, criado há mais de 70 anos no Convento do Sagrado Coração de Jesus. “Hoje, queremos trazer presente a longa história do Centro Filatélico Franciscano, que faz parte da fraternidade Sagrado Coração de Jesus”, disse.

O pároco explicou que a premissa que, com certeza, fez nascer o Centro Filatélico Franciscano e que o orienta até hoje como meio de ajudar as missões franciscanas é o de “dar valor ao que não tem mais valor”. Para ele, as diferentes formas de colaborar com a evangelização, tanto material quanto financeiramente, são, notoriamente, jeitos que o nosso coração mostra e que entende como doação. “É, sim, também modos de ser ‘Igreja em saída’”, ressaltou.

Desde a sua criação, na década de 1940, oficialmente em 1948, o objetivo do Centro Filatélico Franciscano continua sendo o de auxiliar a Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil na manutenção das obras missionárias pelo mundo, recebendo selos novos e usados e também coleções vindas de todo o Brasil e de outros países. Segundo Frei Jorge, os selos são vendidos a colecionadores e o valor é aplicado nas diversas frentes de trabalho em que os frades franciscanos atuam na missão, como nas paróquias, projetos sociais, escolas, seminários, trabalhos de horticultura, entre outros.

Lembrou que no passador já ajudou as missões do Chile e no Mato Grosso (MT) e atualmente contribui efetivamente com a Fundação Imaculada Mãe de Deus em Angola (FIMDA), na África e com a missão da Ilha do Marajó (PA). “A Província Franciscana está presente nas terras angolanas desde 1990. Com a ajuda também financeira, mantém cinco fraternidades em quatro lugares: Luanda, Viana, Malange e Quibala, onde há projetos socio-educacionais e de formação de novos frades, de fomento agrícola, além da atenção paroquial à população”, frisou e acrescentou: “A realidade em Angola, talvez não diferente de muitos locais do Brasil, necessita de ajuda tanto material quanto espiritual, propiciando-se como lugar privilegiado de missão”.

O pároco, também recordou da inspiração da espiritualidade franciscana de ir em missão. Segundo ele, São Francisco de Assis admoestava os frades para partirem para outros ambientes em missão, justamente onde estão os mais empobrecidos, levando a Palavra de Deus.

Frei Jorge explicou que os trabalhos que são realizados no Centro Filatélico Franciscano vão desde a triagem do material que chega, onde se observa a importância de cada selo, em vista da venda direta aos colecionadores, até o atendimentos dos benfeitores. “Nossos frades estudantes do Tempo de Teologia têm o trabalho de identificar e valorizar os selos e os vender por peso. Em dias específicos, os compradores os buscam pessoalmente. Para os que residem mais distantes, os selos são enviados via Correios. Os frades também mantêm contato com os benfeitores através de e-mails, cartas e cartões, enviando-lhes uma mensagem evangelizadora em épocas fortes do ano como Páscoa e Natal”, salientou.

Os franciscanos atendem no Centro Filatélico Franciscano duas vezes por semana, às segundas e quintas-feiras, das 13h30 às 16h. O contato com os benfeitores e os colecionadores de selos é feito pessoalmente, pela internet ou por meio do telefone. “Nosso Centro já não é tão novo assim. Tem mais de 50 anos de existência, por isso, muitos já o frequentam com bastante regularidade”, destacou. “Os selos são portadores de conhecimento histórico-artístico e proporcionam lazer e passatempo aos colecionadores. Quanto mais antigo e conservado for um selo, de tiragem limitada ou escassa, mais valiosos ele será”, sublinhou.

“Na celebração de hoje, rendamos graças a Deus por todos aqueles que contribuem com o Centro Filatélico enviando selos ou contribuindo com a aquisição dos mesmos. Também rendamos graças a Deus por todos os freis que trabalham e pelas missões que são uma resposta ao anúncio de Jesus Cristo de levar o Evangelho a todos”, concluiu.

Nas preces, a coordenadora da Renovação Carismática Católica, Conceição Carius, rezou pelos frades franciscanos de todo mundo, “para que produzam abundantes frutos e sejam sempre a presença de Deus em nossas vidas”. A assembleia reunida respondeu: “Senhor, Deus da luz, ouvi-nos”.

A Santa Missa que foi transmitida pelo Facebook e YouTube do Sagrado e pela Rádio Imperial, seguiu todas as normas sanitárias, agora com 100% de ocupação, segundo o novo Decreto do Bispo Diocesano, Dom Gregório Paixão, lançado nesta sexta-feira (3/12), e contou com a presença das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Amparo, além de lideranças de movimentos e pastorais. A Celebração Eucarística terminou com a solene bênção final. A próxima e penúltima missa do Ano Jubilar será no dia 7 de janeiro de 2022. As celebrações vão até dia 9 de fevereiro de 2022.

CONTRIBUA COM O CENTRO FILATÉLICO FRANCISCANO

Para colaborar, recorte os selos usados dos envelopes (deixe uma margem de papel ao redor) e envie para:

Centro Filatélico Franciscano
Caixa Postal 90023
CEP 25689-900 – Petrópolis – RJ

Mais informações:
E-mail: filatelico@franciscanos.org.br
Tel.: (24) 2242-6915 (às segundas e quintas-feiras)
Facebook: Centro Filatélico Franciscano

VEJA MAIS FOTOS

Notícias Relacionadas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print