jubilar_070122

Ano Jubilar da Paróquia do Sagrado recorda a instalação do órgão de tubos e do relógio

Petrópolis (RJ) – Na primeira-sexta-feira do mês (7/01) de 2022, dia em que a Igreja celebra a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, os frades do Convento e da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus de Petrópolis deram continuidade às celebrações do Ano Jubilar que desde fevereiro do ano passado faz memória dos 125 anos da chegada dos frades franciscanos vindos da Alemanha para Cidade Imperial e dos 75 anos de instalação da Paróquia do Sagrado.

O guardião e pároco Frei Jorge Paulo Schiavini presidiu a Celebração Eucarística das 18 horas e explicou que um pouco da história neste dia seria para conhecer o relógio e o órgão que ornamentam a Igreja.

O relógio foi oferta da família Schaffer e, no dia 7 de março de 1898, ocorreu sua inauguração. Um dado curioso, é que a torre da Igreja precisou ser alterada em dois metros para recebê-lo.

O relógio funciona há algum tempo, mas há quatro anos suas badaladas não podem ser tocadas à noite por causa de uma lei municipal. Já o órgão está em fase final de restauro.

Na sua reflexão, a partir do Evangelho de Lc 5,12-16, Frei Jorge destacou a fé do leproso, que vendo Jesus caiu a seus pés e pediu: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar”. “A partir desse encontro com o Senhor, ele recupera a fé e a saúde. Sempre que voltamos a nossa vida a Deus podemos ter essa fé que pode nos transformar”, disse o celebrante.

Segundo o celebrante, por causa das dificuldades no nosso dia a dia, esquecemos um pouco disso. “Que nós possamos ao participar das celebrações eucarísticas e renovar sempre essa fé”, pediu.

Frei Jorge lembrou que o Ano Jubilar termina no próximo mês e, desde fevereiro do ano passado, apresentou um pouco dessa história jubilar. “Hoje queria trazer presente um pouco a história do nosso orgão de tubos, que está sendo restaurado. E já está muito bonito”, disse.

Segundo ele, esse instrumento foi construído pela firma Klais, com sede em Bonn, Alemanha, um pouco depois da Páscoa do ano de 1925. De construção ainda do período romântico, conta com fole acionável por pedal, podendo funcionar na falta de energia elétrica. Ele tem 20 registros diferentes.
“Portanto tem quase 100 anos e acompanha a história e celebrações da Igreja do Sagrado. Acompanha gerações de fiéis nas várias celebrações, nos ofícios que os frades celebram. Ele faz parte da vida do nosso Convento e da vida do Coral dos Canarinhos. Preenche a igreja com o seu som. Acompanha os concertos de organistas da cidade. Enfim, acompanha o coração que se volta para Deus através do canto”, enfatizou.

Frei Jorge explicou que o restauro, deixando para trás o estrago dos cupins, está indo para a fase final e tem a condução do organeiro Frei Lauro Both. “Aproveito para agradecer nossos benfeitores que estão nos ajudando a construir, restaurar e conservar nossa história”, lembrou o pároco.

O relógio, segundo o pároco, está funcionando há 123 anos. “Ele foi instalado no ano de 1928. É um relógio de cordas. Toda semana uma pessoa precisa ir lá na torre para dar cordas. Ultimamente não está dando as badaladas noturnas devido a uma lei que pede silêncio das 22 às 7 horas. Mas estamos quase no final de um projeto para que toque durante o dia”, adiantou, agradecendo a manutenção voluntária do sr. Lino, há décadas. “Nosso agradecimento a ele por este serviço. Que possamos render graças a Deus por esta história de fé!”, completou.

Notícias Relacionadas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print